A síndrome do galheteiro: embarcar na fama à custa dos outros/do Outro

[Leitura] Is 53, 10-11;Hebr 4, 14-16; Mc 10, 35-45

[Meditação] Há muita gente na sociedade (da parte da politica de consumismo de bens e de status) a crescer à custa do sofrimento dos outros, sem que cooperem na diminuição desse sofrimento, ainda o aumentando mais para que não acabe a fonte dos seus rendimentos ou posição social. Assim, a leitura do texto do Evangelho deste XXIX domingo fez-me lembrar de um galheteiro, onde vejo aqueles dois apóstolos a servir de “frascos” a aproveitar-se d’Aquele pelo qual são elevados para servir na mesa do Reino pela Cruz.

Na verdade, Jesus, reconhecendo a sua missão/vocação nos antigos profetas, andou persistentemente a tentar enchê-lo de algo que os faça úteis, mas eles andaram distraídos com mundanidades. No entanto, quando lhes “cheira” a honras, lá estão eles, mesmo vazios, a ocupar o “galheteiro”. Jesus não os desaproveita, mas ensina-lhes (a eles e a todos os outros) o caminho do serviço que antecede a glória (não a posição dentro dela!).

Chamaria a esta atitude dos discípulos a “síndrome do galheteiro vazio”. Esta tendência está muito presente no nosso mundo, inclusive nas comunidades da Igreja! Os discípulos que perdem tempo a considerar a fama e o poder às custas de Jesus e daquele com quem Se identifica, nunca conseguirão ser verdadeiros missionários (e permanecerão deficientes discípulos!).

[Oração] Sal 32 (33)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

%d bloggers like this: