A fé não é lei que manipula, mas verdade que liberta

[Leitura] Is 38, 1-6. 21-22. 7-8; Mt 12, 1-8

[Meditação] Contemplo, hoje, como a atitude de Jesus foi “escandalosa” para os fariseus e os seus seguidores. Na verdade, Ele estava do lado dos oprimidos por qualquer tipo de necessidade ou de fome essencial, em que a lei religiosa vigente se isentava de solucionar, sem fundamento divino. Ao invés, a atitude dos fariseus era de desprezo para com as mulheres e as crianças, para além da falta de compaixão para com os doentes, no confronto com as regras do templo. Mas Jesus é superior a este! Quanto mais ao tempo do sábado!

Em todos os tempos e templos é necessário purificar as leis que não libertam o ser humano das verdadeiras escravidões, com a Palavra da Verdade que Jesus nos veio anunciar com as obras. «Pôr em ordem a casa», como anuncia o profeta Isaías, não significa meramente emitir leis para que todos as cumpram, mas rezando piamente e alimentando os que padecem as diversas chagas. O desandar de dez graus para trás no relógio de Acaz talvez nos inspire a antecipação que devemos fazer quando nos vier a tentação de colocarmos as leis à frente das pessoas. Jesus não amava a religião; amava as pessoas!

[Oração] Sal Is 38, 10-11

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

%d bloggers like this: