Não podemos construir um céu à imagem da terra!

[Leitura] 2 Tim 1, 1-3. 6-12; Mc 12, 18-27

[Meditação] Pela forma como os saduceus colocam a questão “matrimonial” a Jesus, percebemos que, para eles, não tem lógica haver ressurreição dos mortos. Não fossem eles desorganizar a ordem sócio-religiosa em que punham toda a sua confiança. Isso é porque eles partem do pressuposto de que Deus é um Senhor dos mortos, em vez de ser o Deus dos vivos, como o apresenta Jesus.

Na ressurreição não se volta à vida terrena, mas vive-se a vida eterna prometida por Deus. Por vezes, aspiramos a viver no céu como continuação da comodidade sonhada na terra. Há até quem lhe chame “eterno descanso” como se o céu fosse feito de “resorts” ou “camaratas” para se dormir um sono profundo. E só de almas, qual pessoas! Como podemos continuar com esta linguagem? Até para analogias são limitadas!!

Não podemos construir um céu à imagem da terra, simplesmente ele não cabe aqui. Podemos, sim, pensar que todos, de todas as gerações e de todas as épocas, cabemos no céu, porque é a casa infinita de Deus, cujo amor é perfeito, acima de todas as instituições com que “governamos” todas as coisas, quer materiais quer espirituais.

[Oração] Sal 122 (123)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

%d blogueiros gostam disto: