É o estilo de oração que define o nosso tipo de fome

[Leitura] 1 Pedro 4, 7-13; Mc 11, 11-26

[Meditação] Betânia é o símbolo da oração que Jesus declara como importante, aquém de qualquer refeição. Compreendamos isto a partir do seu diálogo com Marta, tendo a sua irmã Maria aos seus pés (cf. Lc 10, 38ss).

Antes de ir para Betânia com os Doze, Jesus observou o que se passava no Templo, em Jerusalém. Certamente, naquele dia, o que viu (o comércio e os cambistas) tirou-Lhe a fome e a oportunidade de tomar uma refeição preparada por Marta. De modo que, no dia seguinte, sentiu urgência em voltar a Jerusalém para agir em conformidade com o que tinha rezado.

Foi no caminho que, não conseguindo controlar a fome, parou diante de uma figueira, não tanto para a amaldiçoar, mas para alimentar a fé dos apóstolos. Este tipo de alimento sacia somente a partir do jejum de coisas materiais. Jesus teve, pois, fome que os seus apóstolos tivessem fome dos bens espirituais que são chamados a proclamar e a defender.

[Oração] Sal 95 (96)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

%d blogueiros gostam disto: