A Eucaristia será sempre um ato vespertino do Sacrifício que completou a salvação

[Leitura] Ex 24, 3-8; Hebr 9, 11-15; Mc 14, 12-16. 22-26

[Meditação] Faz falta celebrar a Eucaristia mais vezes em espaços não comuns, como aquele que, segundo Marcos, o Senhor mandou preparar naquela cidade. Como provocação para aqueles que nunca ou poucas vezes o frequentaram, o encontro com o Senhor na Missa dentro do próprio espaço vital tem um poder que não podemos medir, sobretudo quanto aos efeitos colaterais.

Cá para mim, com muita humildade, a Eucaristia será sempre um ato vespertino do dia ou da hora em que acontece uma entrega semelhante à de Cristo na Cruz, pelos irmãos, em público, para salvar, não para condenar ou “pôr na linha”. A Eucaristia, para isso, terá de ser sucedida com uma entrega séria, correspondendo com a força daquele sublime alimento. Senão terá sido uma véspera em vão. Não é à toa que, na Quinta-feira Santa, o que se celebra é a “Missa Vespertina da Ceia do Senhor”! É porque o dia que lhe sucede — a Sexta-feira Santa — faz memória do acontecimento que a completa!

Com mais ou menos pastoral litúrgica, lá vamos celebrando o melhor que podemos, entre as belas passadeiras que reúnem pessoas no mesmo afã e alguns momentos de formação que ajudam a aprofundar o mistério que se celebra. Falta perceber se o que acontece a seguir corresponde a este ato sempre “vespertino”. Reparemos que, apesar dos preparativos, a forma como Jesus realiza aquele ato vespertino é muito simples, para não distrair, ou melhor, se ligar com clareza à Sua entrega que aconteceu no dia a seguir. Não nos distraiamos, pois, do bem que temos de fazer para além dos ritos da Eucaristia, para a cumprirmos à semelhança de Jesus. Uma coisa é certa: o Senhor faz a sua parte, entregando-se por nós! Estejamos-Lhe gratos, do fundo do coração!

[Oração] Salmo 116:

Como agradecerei ao Senhor
tudo quanto Ele me deu?
Elevarei o cálice da salvação,
invocando o nome do Senhor.
É preciosa aos olhos do Senhor
a morte dos seus fiéis.
Senhor, sou vosso servo, filho da vossa serva:
quebrastes as minhas cadeias.
Oferecer-Vos-ei um sacrifício de louvor,
invocando, Senhor, o vosso nome.
Cumprirei as minhas promessas ao Senhor,
na presença de todo o povo.

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

%d blogueiros gostam disto: