Com a Páscoa começou o “magistério” do Espírito Santo

[Leitura] Act 17, 15. 22 – 18, 1; Sal 148; Jo 16, 12-15

[Meditação] O oriente cristão faz-nos um reparo, a nós que vivemos neste ocidente racionalista e calculista, de que adoramos pouco a terceira pessoa da Santíssima Trindade que é o Espírito Santo. Há, contudo, uma exceção: a devoção ao Espírito Santo nas ilhas dos Açores, através dos seus “impérios” e a coroação dos fiéis, desde pequeninos.

Pois, com a Páscoa do Ressuscitado, deu-se início à docência do Espírito Santo, garantida por Jesus aos seus discípulos, sobre tudo aquilo que eles não estavam ainda capazes de compreender, mas, com a ajuda do Espírito de Deus, iriam ser guiados até à verdade plena. Portanto, o Dom do Espírito Santo é a chave do conhecimento, ao qual acedemos através da fé em Jesus Cristo. À semelhança da sua ascensão aos céus, também os que acreditarem n’Ele serão elevados pelos dons do Paráclito Consolador.

Como Paráclito, sugerir-nos-á a resposta na ponta da língua nas circunstâncias da vida que que nos são colocadas perguntas difíceis. Como Consolador, apaziguar-nos-á nas situações para as quais não haverá resposta neste mundo.

[Oração] Invoquemos o Espírito Santo que é o Amor de Deus:

Vinde, Espírito Divino,
Celeste Consolador,
E realizai nas almas,
As obras do vosso amor.

 

Vinde, Espírito Divino,
Com o dom da Sapiência,
Ensinar a distinguir,
A verdade da aparência.

 

Vinde, Espírito Divino,
Com o dom da Fortaleza,
Fazer crescer nossa fé
Com invencível firmeza.

 

Vinde, Espírito Divino,
Vinde ao nosso coração,
A mostrar-nos o caminho
Que conduz à salvação.

 

Dai certeza aos nossos passos,
Luz aos nossos pensamentos,
Para que sejam conformes
Com os vossos mandamentos.

 

Para que todos unidos
No fogo da caridade,
Sejamos irmãos, agora,
E por toda a eternidade.

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

%d blogueiros gostam disto: