Para o “Tomé” que há em nós, o Ressuscitado proclama a 9ª Bem-aventurança!

[Leitura] Act 4, 32-35;1 Jo 5, 1-6; Jo 20, 19-31

[Meditação] Está proclamado, a partir deste Evangelho do II Domingo da Páscoa, que o “visto da fé” não é meramente ver com os olhos físicos a presença do Senhor, hoje Tomé, como no outro dia a Maria Madalena que queria “aprisionar” o Senhor na sua corporeidade física terrena. Hoje em dia, «felizes os que creem sem terem visto», a partir do contacto com o Corpo do Senhor que é a Igreja e que na Igreja atua como Cabeça. É esta a nova (a 9ª!) Bem-aventurança da fé cristã que o Ressuscitado proclama para os que acreditarem na presença misteriosa do Ressuscitado na Igreja e a partir da comunidade da Igreja.

Por isso, a comunidade não é só uma casa para acolher o Ressuscitado que lhe dá vida, mas para acolher aqueles que, como outrora Tomé, quiserem fazer a experiência do mesmo Ressuscitado. Doravante, o medo desaparecerá com a força do Espírito e as portas desta “casa” escancarar-se-ão ao mundo, para que dela saia a público a novidade mais urgente de ser publicitada: a do Amor de Deus que quer salvar toda a humanidade.

Em Itália, por esta ocasião, andam todos a anunciar “Buona Pasquetta!”, transferindo para o convívio ao ar livre a alegria pascal, juntamente com as cestas cheias de comida que transportam para os campos ou para a casa de um vizinho ou familiar para se prolongar a alegria pascal. Sim, vamos fazer do anúncio da vida nova do Ressuscitado uma experiência social! Senão, continuaremos a sepultar Jesus e a fugir do Seu Espírito transbordante de amor, do Pai do qual já nem a morte nos pode separar.

[Oração] Sal 117 (118)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

%d bloggers like this: