Hoje tive a graça de ser um “jumentinho”!

[Leitura] Mc 11, 1-10

[Meditação] Na obediência apressada a responder a Jesus, que disse aos seus apóstolos «Ide à povoação aí em frente…», indo celebrar a primeira das Missas do Domingo de Ramos, parei uns metros mais à frente de um senhor idoso que levantava o braço a pedir boleia para a Missa, enquanto o seu outro braço segurava  o seu ramo.

Durante a proclamação do Evangelho que sucede a bênção dos ramos e antecede a procissão para a Missa da Paixão tive a sensação nítida de estar a exercer a missão do “jumentinho” que transporta Cristo para a glória de Deus que é o homem vivo (cf. Santo Ireneu).

Tenho a sensação contrária, quando nas minhas relações sociais ou nas que contemplo nas redes sociais, contemplo os olhares humanos mais voltados para os ministros do que para Cristo. Aí parecemos ser “chaval’s”, com poder tipicamente à imperador romano. Isto não tem nada a ver com a Páscoa que a quaresma procurou preparar!! Como diz o Papa Francisco polemicamente diz: «Vale mais ser ateu, do que um cristão hipócrita»!

Para uma verdadeira Páscoa na vida de todos os que procuram Cristo, vale mais ser um “jumentinho” do que uma falsificação da sua Pessoa e do Seu Projeto!

[Oração] (Silêncio!)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

%d blogueiros gostam disto: