Magnificat: a oração que liga a promessa à memória

[Leitura] 1 Sam 1, 24-28; Lc 1, 46-56

[Meditação] O Magnificat é a primeira oração de Maria após o seu Sim, expresso no “faça-se em mim segundo a vossa Palavra”. Exprime este louvor abraçada a Isabel, em quem vê cumpridas as promessas de Deus, que a livra da desonra.

Assim, neste abraço, vemos entrelaçada a promessa e a memória daquilo que Deus fez e é capaz de continuar a fazer, ainda de forma mais próxima, em Jesus Cristo, filho de Maria, que o Precursor, filho de Isabel, ajudará a reconhecer.

Não há, por isso, nenhuma prisão humana que impeça de vislumbrar um possível chamamento, encostado aos lábios do coração de quem tem a coragem de esperar, louvando o Criador de todas as coisas e o Redentor da humanidade. Como escreveu Dietrich Bonhoeffer (teólogo e pastor), no presídio de Berlim (Natal de 1943, aos amigos Eberhar e Renate):

“Você quer ser liberto? Esta é a única questão realmente importante e decisiva que o Advento nos propõe”.
“A cela de uma prisão, em que alguém aguarda, espera e se torna completamente dependente do fato de que a porta da liberdade tem que ser aberta por fora, torna-se cenário ideal para o Advento”.

A quem for dado contemplar a memória do passado, não será impossível dar espaço, na fé, à promessa de um futuro feliz, seja em que circunstância estiver.

[Oração] Sal 1 Sam 2, 1. 4-5. 6-7. 8abcd:

Exulta o meu coração no Senhor,
no meu Deus se eleva a minha fronte.
Abre-se a minha boca contra os inimigos,
porque me alegro com a vossa salvação.
A arma dos fortes foi destruída
e os fracos foram revestidos de força.
Os que viviam na abundância andam em busca de pão
e os que tinham fome foram saciados.
A mulher estéril deu à luz muitos filhos
e a mãe fecunda deixou de conceber.
É o Senhor quem dá a morte e dá a vida,
faz-nos descer ao túmulo e de novo nos levanta.
É o Senhor quem despoja e enriquece,
é o Senhor quem humilha e exalta.
Levanta do chão os que vivem prostrados,
retira da miséria os indigentes;
fá-los sentar entre os príncipes
e destina-lhes um lugar de honra.

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

%d bloggers like this: