Publicado em Lectio Humana-Divina

A vigilância cristã é a boa administração das virtudes teologais

[Leitura] 1 Tes 3, 7-13; Mt 24, 42-51

[Meditação] Aproveitando a definição da dupla dinâmica com que, dialética e dialogicamente, acontece a experiência espiritual – a mística e a ascese – sugiro que a vigilância de que ouvimos falar hoje no Evangelho não seja atuada como um mero cumprimento de normas, a permitir que nada de bom nos seja roubado pelos ladrões da dignidade humana.

As palavras de Jesus também falam da permuta de dons entre o Senhor que chega de surpresa e do servo preparado para o servir. Portanto, a vigilância deve ser alimentada por predisposições para servir bem oportunamente, mais do que boas ações que não servem ninguém.

Mais do que tudo, as virtudes da fé, esperança e caridade são, antecipadamente a todos os nossos esforços, sementes de todo o bem em que possamos colaborar com o projeto de Deus, sem os quais esses esforços seriam inúteis ou inoportunos.

[Oração] Sal 89 (90)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu