Publicado em Lectio Humana-Divina

Um Reino face-to-face e não só book-to-face

[Leitura] Ex 33, 7-11 – 34, 5b-9. 28; Mt 13, 36-43

[Meditação] Depois de ter cuidado da multidão, a quem falava em parábolas, Jesus volta para a casa dos discípulos. Estes pedem-Lhe que lhes explique a parábola do joio. Hoje, continua a acontecer assim entre o que acontece com o que é proclamado e explicado no ambão das Assembleias Litúrgicas e o que é investigado na cátedra das disciplinas de Teologia. Assim, também, acontece entre o método dedutivo-normativo e o método indutivo-empírico ou indutivo-existencial. Aquele é usado na relação com as assembleias e as massas; este é mais conveniente no acompanhamento pessoal na descoberta e vivência da vocação cristã. Aquele método dedutivo-normativo parte da norma geral para a situação particular, através de uma exposição fundamentada; o indutivo-existencial parte da verificação dos casos particulares para se formular uma lei que persuada todos os casos da mesmo grupo social.

É por isso que não basta formar presbíteros com base numa única Ratio fundamentalis traduzida do Latim; é necessária uma Ratio national e, porque não, Normas regionais que orientem o acompanhamento personalizado dos chamados. Encontramos a relação entre estes dois métodos na história do Povo de Deus entre as normas do Sinai, escritas pelo dedo de Deus, que serviram para destruir o bezerro de oiro e, depois do encontro com Deus na Tenda da Reunião e da prostração das gentes nas suas próprias tendas, a redação da Lei nas tábuas da Aliança.

Serve de passagem no aperfeiçoamento dos métodos o encontro face-a-face com Deus o o respeito para a relação entre a “tenda” que é o contexto existencial ferial de cada pessoa ou família e a Tenda em que se reúne a assembleia dominical. Agradecemos aos senhores Bispos de Portugal o facto de nos terem oferecido uma Carta Pastoral intitulada “Catequese: a alegria do encontro com Jesus Cristo” que certamente nos vai ajudar a melhorar o método de acompanhamento entre a iniciação cristã e o discernimento vocacional a partir de uma melhor contemplação do horizonte para o qual a Palavra nos quer levar: o encontro com o Pai no Reino.

[Oração] Sal 102 (103)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu