Processo vocacional cristão, a “impressora” da nova aliança 

[Leitura] Hebr 8, 6-13; Mc 3, 13-19

[Meditação] Podemos pensar que a nova aliança é um acontecimetno automático, mas não. É promessa já cumprida no Mistério Pascal de Jesus Cristo (uma “graça a caro preço”), mas que precisa de ser acolhida através de um processo que tem as suas etapas na aventura do encontro entre Deus Pai e cada pessoa, mediado pelo Espírito do Ressuscitado e a comunidade da Igreja por Ele fundada.

A aliança de Deus com a humanidade é o chamamento que implica a aliança de cada pessoa com Deus na escuta e resposta a esse desígnio pessoal de amor. O evangelista Marcos descreve o processo vocacional de uma forma tão simples que até me metem impressão os esquemas totalizadores da nossa pastoral vocacional hodierna. Quem quererá fazer parte de uma “empresa” vocacional?

A experiência de escuta e resposta ao chamamento de Deus é um mistério, entre o dom que é para todos e a resposta pessoal. Na Igreja, esta processo da descoberta da vocação e da sua concretização em cada ser acontece de muitas formas. Não há dúvidas de que já passou o tempo de propostas massificadoras e que chagámos novamente à ncessidade de considerar o coração de cada pessoa como o lugar a partir de onde Deus convida a caminhar. Por isso, falar de coração a coração é o princípio de uma caminhada que, ainda que possa ser longa, nunca ninguém a fará só, pois o Mediador Jesus Cristo exerce um sacerdócio que está à altura de um acompanhamento divino. E nós: estamos à altura de tão grande consideração que Ele nos tem ao chamar-nos pelo próprio nome?!

[Oração] Sal 84 (85)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo