Um bom servidor deve apanhar a wifi da fé mantendo-se próximo do router do templo

[Leitura] Sir 3, 3-7. 14-17a (gr. 2-6. 12-14); Col 3, 12-21; Mt 2, 13-15. 19-23

[Meditação] A maioria das pessoas que navegam na Internet já se habituaram a colocar no “mapa” da sua vida prática o conhcimento a referência quer dos routers por onde podem apanhar rede e das suas passwords gravadas no seu smartphone, laptop ou tablet. De facto, a fome de acesso à informação fez-nos emigrar para uma nova forma de gerir o desempenho no tempo e no espaço de que dispomos. Mas… estaremos consciente de que isso poderá ser-nos úito como “parábola” da nossa relação com Deus, mais do que deter-nos no espaço e tempo limitados da fruição de meros desejos?

A profetiza Ana ensina-nos que o melhor “router” para obter uma “rede” que ns liga ao que é verdadeiramente essencial é o templo onde podemos alimentar a fé na escuta da Palavra de Deus. O Papa Bento XVI, em resposta a jovens que lhe perguntavam como é que podem viver a condição de crismados, disse que é necessário mantermo-nos dentro no perímetro do Espírito Santo, fora do qual perdemos o alcance da força que nos impele ao essencial.

Está cada vez mais na hora de aprender a habitar os espaços essenciais, desde o lar até à escola e à igreja, sendo que estes não são meramente espaços, mas lugares onde se aprende a viver para fora de encontro às missão que está reservada para cada um e cada uma. Crescer em estatura, sabedoria e em graça depende do que se aprende nesses três espaços. E isso determina o contributo que se desenvolve fora deles.

[Oração] Sal 127 (128)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

%d blogueiros gostam disto: