Publicado em Lectio Humana-Divina

Advento III – A grande alegria de ser profeta menor

[Leitura] Is 35, 1-6a. 10; Tg 5, 7-10; Mt 11, 2-11

[Meditação] O projeto divino de salvar a humanidade aconteceu por etapas históricas: patriarcas, profetas… estes últimos apontados como modelos de sofrimento e paciência, por falarem em nome do Senhor. E chegou o tempo anunciado de a humanidade acolher no seio das suas trevas uma grande Luz: o Verbo feito homem, que vem para instaurar a novidade do Reino de Deus. Por isso, o menor no Reino é declarado pelo Senhor como maior que aqueles! No entanto, o reconhecimento desta presença não foi nem é automático. Surge discretamente, entre grades que o tentam enclausurar e portas que lhe proporcionam acesso.

Nos filmes de ação é frequente contemplarmos uma saga em que os verdadeiros protagonistas vão sempre à frente da cena para apanhar os inimigos. E, habitualmente, há um grupo de falsos protagonistas que quando chegam à cena já o problema está resolvido. Na Liturgia de hoje, o nosso Mestre propõe-nos que estejamos sempre à frente, a preparar o seu caminho. Ele não quer que cheguemos à beira do presépio como quem já o encontra refeito com peças do ano passado! Não estou a criticar a inércia ritual dos nossos presépios… estou a sugerir que a quadra natalícia não seja só vivida como tradição de ritos e peças desconjuntadas da verdadeira realidade do Nascimento de Cristo, mas como transmissão de verdades, através de atitudes coerentes com o Evangelho.

Toda a gente sabe quem são os verdadeiros protagonistas do Natal intermédio: os que fogem “para o Egito” da sobrevivência, os que defendem os direitos humanos, os que se declaram conta aberrações ideológicas, os que sabem discernir os espíritos bons dos maus e agem em conformidade com a vontade de Deus. A experiência de João Batista é, paradoxalmente, uma referência de quem quiser entrar no Reino de Deus. Ele abriu as suas portas, mesmo na prisão, por causa da Verdade. As portas que este mundo são fechadas por aqueles que não a querem, na realidade, já estão largamente abertas para aqueles que a praticam!!

[Oração] Sal 145 (146)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu