Fé, mediação entre caminho com a Palavra e o acolhimento do Gesto de Jesus

​[Leitura] Is 29, 17-24; Mt 9, 27-31

[Meditação] É surpreendente o que Jesus é capaz de fazer com a fé daqueles dois cegos! Porque será que não temos a mesma surpresa com os doutores da lei? Talvez porque estes não fazem o caminho da escuta que levou aqueles à comunhão com Jesus (“ao chegar a [Sua] casa”). A Palavra, acolhida no seguimento de Jesus, passo a passo, faz acreditar; o Toque de Jesus, como gesto de interrogação que exige uma resposta, abre os olhos para um novo horizonte da existência.

Advento é esta etapa de seguimento na escuta que purifica o nosso olhar, para, na reunião familiar festiva do Natal, nos deixarmos tocar pela graça da Presença que redireciona o resto do novo ano pastoral que ainda há pouco iniciámos. E uma vez que Jesus já passou pela paixão e morte, e é o Ressuscitado, não atrasamos nada se rapidamente espalharmos a fama de Jesus, unindo as vozes de missionários às dos pobres que, hoje, representam os pastores de Belém.

A fé é, pois, mediação fundamental entre o caminho do Advento e a memória do Natal ou, se quisermos, a matéria-prima com que Jesus Se torna novamente Presente pela Sua Palavra e dá um toque fundamental à nossa vida.

[Oração] Sal 26 (27)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo