Publicado em Lectio Humana-Divina

Nos milagres o Filho de Deus, na cruz o Filho do homem

[Leitura] 2 Sam 5, 1-3; Col 1, 12-20; Lc 23, 35-43

[Meditação] Todos os Sacramentos que Jesus fundou como encontros com Ele que geram vida são realizados com dois elementos fundamentais: a palavra e o gesto. Nestes elementos Deus revela-Se e atua em favor da humanidade. Este favor não é só uma manifestação de poder divino, mas, ao mesmo tempo, uma demonstração de amor acomodado à realidade da miséria humana. Por isso, as palavras e gestos sacramentais procuram ser traduzidos, para a sua melhor compreensão e vivência, na linguagem e sensibilidades de dada cultura, sendo fielmente guardados os seus elementos essenciais que nos ligam a Jesus Cristo. Sem Ele ninguém pode ser salvo.

No Evangelho desta Solenidade de Cristo Rei do Universo, aparecem três tipos de pessoas a dizer a Jesus declarações como «Salvaste os outros, salva-Te a Ti mesmo! Se és o rei…». Esses três tipos representam três tipos de poder humanos: o poder religioso, o poder civil e o poder transgredido. Sim, este não parece o poder, mas também o é, senão não haveria infrações, ou seja, ninguém passaria além do que é permitido! Jesus, no processo da Sua paixão pela humanidade, passa além do que os humanos são capazes de fazer: ou exercer o poder sobre os outros (dentro de um quadro limitado de leis ou a seu bel prazer) ou a ultrapassar as leis por causas justas ou menos justas. Deus reage à realidade humana muito para além do quadro do que se vê ou sabe. O seu ser divino e humano tocam-se na Incarnação do Verbo, no Aparecimento da vida pública e na Paixão. Nestes acontecimentos, Jesus prova ser Rei, não só dos judeus, mas do Reino de Deus!

Aguardemos com jubilosa alegria a nova Carta Apostólica que o Papa Francisco amanhã nos deixará ler. Ajudar-nos-á a não esquecer que a misericórdia é a melhor forma de deixarmos o amor de Deus reinar no mundo. Afinal, ela é o coração de todo o Evangelho e, por isso, deve ser, também, a matriz de todas as nossas relações e ações. Na misericórdia, deixemos ver o poder de Deus; no sofrimento deixemo-nos contemplar a humanidade que há em nós!

[Oração] Sal 121 (122)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu