Publicado em Lectio Humana-Divina

O sinal é grande, mas os seguidores são poucos… pedi gente atenta!

[Leitura] Gal 4, 22-24. 26-27. 31 – 5, 1; Lc 11, 29-32

[Meditação] O trecho evangélico de hoje sugere-me uma paráfrase de Mt 9, 37, em que Jesus constata que “a messe (colheita) é grande, mas os trabalhadores são poucos” para, longe de Se ficar no lamento, nos convidar a pedir ao dono que mande trabalhadores para ela. Na liturgia dominical de ontem, reparámos que só um dos nove leprosos é que reconheceu Jesus, não só como o indicador do caminho da cura, mas também como sua causa e fonte de sentido último. Este episódio mostra-nos a lamentável ratio 1/9, mas também não é para nos deixar a ficar encabeçados no “muro de lamentações” pelo facto de só um ser livre…

Diante de uma vivência da fé desenvolvida maioritariamente à base de tradições humanas e formulários gerais, requer-se, para o reconhecimento do Sinal + que é Cristo, não meramente uma reação, mas, sobretudo, uma proatividade inspirada e corajosa. Aqueles que sabem não tirar os olhos deste Farol, ainda que mantendo o seu barco a navegar em águas nem sempre estáveis. O decisivo é não ficarmos amarrados ao porto-de-rio da natureza do qual partimos, mas o de termos a coragem de nos aventurarmos a navegar no “mar” da nova aliança que Jesus veio fundar.

A paráfrase de hoje parece-me pressuposto da sua versão original que convida para a grande colheita do Reino. Como poderemos participar nela, se não formos introduzidos na mesma pela atenção ao sinal que é Jesus Cristo? Para que haja missionários, é preciso haver discípulos. Também, para que haja discípulos, requer-se que haja missionários corajosos. O Papa Francisco melhorou esta dupla implicação, convidando-nos a todos a sermos discípulos-missionários. É sinal de que estamos atentos ao Sinal que é fundamento e essência da salvação.

Um dos sinais de que anda por aí muita gente distraída com a natureza e distraída da sobrenatureza que é dom de Jesus é a falta de respostas vocacionais. Talvez por falta de missões pouco atentas aos problemas dos jovens de hoje…

[Oração] Sal 112 (113)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu