Publicado em Lectio Humana-Divina

Milagre não reconhecido, amor (ainda) não correspondido!

[Leitura] Is 7, 1-9; Mt 11, 20-24

[Meditação] Grande parte do Ocidente bem que se pode assemelhar às três cidades citadas no Evangelho pela exuberância de benefícios variados com que a vida de seus habitantes, em geral, foi contemplada. Certamente, os processos da evangelização que permitiram a expansão do Cristianismo até aos nossos dias têm uma significativa parte de peso no desenvolvimento humano que temos. No entanto, essa “sorte” nem sempre foi entendida como obra de Deus e o estremecer dos corações nem sempre foi por motivos para além do círculo fechado do egoísmo. Ter-se-á regredido naquela expansão dos valores que estão na nossa base civilizacional? Há quem diga que sim, levando-nos a considerar que poderemos vir a estar ao lado de Cafarnaum, cujo aspeto das suas ruínas de hoje condizem com a profecia de ontem.

Face aos tumultos sociais da atualidade, parecidos com aqueles pelos quais o coração de Acaz e do seu povo estremecia, como reagiremos nós? Sempre a “calar” a probabilidade com divertimentos apaziguadores ou soníferos? Ou a procurar ter cuidado com coragem e a confiança depositada no poder de Deus? O seu agir segue uma lógica espacial, temporal e holística, muitas vezes, indecifrável, mas que não deixa de ser real na realização do que promete. No entanto, conforme o medo e o desânimo que vêm da falta de fé nos podem levar ao abismo do mal, também a coragem crente nos poderá ajudar a esperar o cumprimento do que Ele promete a nosso respeito.

A gratidão pode ajudar, na prática, a viver uma mais autêntica conversão. E enquanto a eventualidade de males maiores ainda não nos tira o ânimo, há que usar este para pormos em alta a consideração que fazemos do que vamos ouvindo na proclamação da Palavra de Deus. Com certeza que um maior esforço numa mais eficiente desfragmentação da vida cristã (e pastoral) pudesse ajudar à concentração no essencial que providencia a sobrevivência, senão do corpo, pelo menos, do espírito.

[Oração] Sal 47 (48)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu