Publicado em Lectio Humana-Divina

Prefiro a triagem manchesteriana de Jesus

[Leitura] Am 8, 4-6. 9-12; Mt 9, 9-13

[Meditação] Os padres e, porventura, até, os leigos mais comprometidos na pastoral, podemos correr o risco de tecer à nossa volta uma fronteira fechada que nos faz inconscientemente “inscritos” num grupo-sombra que, quer queiramos, quer não, nos leva  a desenvolver uma pastoral nem sempre coincidente com a hermenêutica atualizada do Evangelho. Habitualmente, cai-se no clericalismo, esteja ele no hábito do padre ou na mente dos leigos. Por isso, declaro que prefiro a “triagem manchesteriana” de Jesus, que só dava lugar a uma “pulseira”: a dos que precisam do médico.

Na realidade, todos precisamos deste Médico, mas nem sempre é cómodo acolhê-Lo quando estamos sentados no nosso “posto de cobrança”, o lugar da nossa debilidade ou pecado. Na verdade, no Sacramento da Confissão, a tendência tem sido: o padre sentado e o penitente de joelhos ou ausente do confessionário. Na ação de Jesus, o penitente está sentado no lugar do pecado e é Jesus que passa para o chamar. E o processo de conversão coincide com o processo do chamamento. Quantas vezes, não separamos estes dois processos, com a probabilidade da grave consequência que é uma vivência neurótico-bipolar do seguimento?

Por outro lado, quantas vezes o seguimento esteve assente em sacrifícios que evidenciava mais o mérito dos seguidores do que o amor generoso e abundante d’Aquele que chama? Nisto, a “triagem” de Jesus supera a do Antigo Testamento. Na sua ação, Ele prefere andar com os que precisam de médico, não lhes rogando pragas, mas convidando-os a entrar no convívio que os faz melhores. É por aqui que se pode resolver a questão do convívio dos padres e leigos mais comprometidos no seio das relações político-sociais: ser parceiro, implicar-se mutuamente, ter a verdade sempre à frente de qualquer objetivo, pensar em todos sem discriminações, respeitar a identidade de cada um. Saber ligar bem o lado humano da missão com o divino.

[Oração] Sal 118 (119)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu