Grito que “acorde” o Mestre acalma a “tempestade” da descrença

[Leitura] Am 3, 1-8; 4, 11-12; Mt 8, 23-27

[Meditação] No episódio evangélico de hoje, podemos encontrar, mesmo, dois tipos de tempestade: a do mar e a da falta de fé. Quer uma, quer outra são perigosas quando surgem para encobrir e “engolir” a “barca” da vida humana e a da Igreja.

É interessante notarmos que a tempestade começa precisamente quando Jesus “aterra” no sono. Talvez esteja a ser usado aqui um artifício literário a querer sugerir que quando adormecemos a oração/relação com Jesus na nossa vida, daí derivam coincidentemente as tempestades.

Quando Cristo parece “dormir” diante dos nossos problemas, pode acontecer que também nós não estejamos “acordados” para a bonança que a fé nos oferece. Assim, as provações da vida que Deus permite que soframos podem servir de “despertador” para nós próprios nos metermos de acordo com as promessas divinas.

[Oração] Sal 5

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo