Publicado em Lectio Humana-Divina

Do fundamentalismo ao ecumenismo, a perfeição é amar sem medida

[Leitura] 1 Reis 21, 17-29; Mt 5, 43-48

[Meditação] As afirmações de Jesus no Evangelho de hoje podem ajudar-nos a perceber a questão de Ele não ter vindo revogar a Lei, mas de a vir completar, não passando nem o céu nem a terra sem que a menor palavra ou o mais pequeno sinal se cumpram (cf. Mt 5, 13-19). Sendo que não são os os escribas e fariseus os modelos da aplicação da Lei (somente a vigiam a seu favor, mas não a cumprem), nem os publicanos e pagãos, embora estes estejam mais abertos ao anúncio do Senhor, a perfeição da Lei está na forma de Deus amar: todos! Por isso, Jesus indica aos seus discípulos que o caminho da perfeição é amar os inimigos e dissipar todo o tipo de egoísmo e violência.

Com as ações de envolvimento que os últimos Pontífices têm levado a cabo em favor do ecumenismo, podemos afirmar que este movimento do Espírito é imparável, no sentido de que a paz universal depende da conjugação dos esforços de todos e não, meramente, do cumprimento farisaico das leis. O amor de Deus não cabe nesta ou naquela instituição, mas em todas elas deixou “rédeas” para que se possa caminhar para Ele através de uma boa liderança na vida da fé pessoal e comunitária. O ecumenismo pode comparar-se com uma rosa, em que as pétalas são todas as confissões de fé que se unem no mesmo caule divino para perfumar todos os recantos do existir humano e do buscar Deus.

O fundamentalismo pode comparar-se aos caules que só dão espinhos. Não servem para mais nada, a não ser para, numa teimosia pelo amor-sem-medida iniciado por Jesus Cristo, construir coroas para as cabeças dos mártires. Estes têm o grande condicionamento de ser humanos errantes, mas, ao mesmo tempo, a coragem de não se fecharem em cláusulas que condicionem o amor de Deus ou que “oprimem” aqueles que O que amam. Em qualquer altura, sem o amor de Deus, qualquer fundamentalista, porque passa o tempo a negar o Fundamento, corre o risco de se transformar num terrorista. E em qualquer momento, com a ajuda de vozes proféticas, como esta a ser a do Papa Francisco, que convidou todos os habitantes do globo a entrar nas portas do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, qualquer terrorista pode fazer assentar a sua vida, não alguma penitência, naquele caule que, sem estar isento de alguns espinhos, se esforça por guardar e alimentar aquele conjunto de pétalas que, pelo perfume que exalam, nos fazem inspirar a perfeição divina.

[Oração] Sal 50 (51)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Guardar

Guardar

Guardar

Autor:

Padre da Diocese de Viseu