Publicado em Lectio Humana-Divina

Seguir Jesus na causa do Evangelho, de discípulos pobres a filhos obedientes

[Leitura] 1 Pedro 1, 10-16; Mc 10, 28-31

[Meditação] A causa do Reino não se deixa delimitar com condicionalismos humanos, seja de que tipo for. Às perseguições, que Jesus profetiza juntamente com a percentagem de bens e a vida eterna, também o homem rico de Mc 10, 17-27 não escapou, certamente, por ser um homem que já praticava os valores do Evangelho! O que este não pôs a hipótese foi de viver foi a possibilidade de os testemunhar em nome de Jesus e de, na pobreza, perceber como suportar as tais perseguições no caminho desafiador do Reino. Na verdade, a causa do Evangelho não admite exclusivismos e, no final, o despojamento não é mais do que, simplesmente, aquilo que devíamos ter feito.

Está provado, pela experiência, sobretudo afetiva, na entrega de muitos batizados leigos e consagrados, que viver a pobreza como valor do Reino ajuda, consequentemente, a viver melhor o valor da obediência e da castidade pelo Reino de Deus. Já o Papa Paulo VI o afirmava, ajudando os sacerdotes a perceber que seria mais preocupante um ministro de Deus viver o apego aos bens materiais com a capa de (presumida) pureza e de (aparente) obediência, do que estar única e exclusivamente obcecado com a defesa da castidade. Esta, na verdade, leva a exclusivismos como os de Pedro, na sua fase prematura de discípulo pobre, a perguntar ao Mestre: «Vê como nós deixámos tudo para Te seguir». Se Jesus não tivesse rapidamente tomado a conversa, não sei se Pedro iria ser poupado em reivindicação de prémios (a mãe de Tiago e João não foi comedida; cf. Mt 20, 21).

É interessante verificarmos que, na sua primeira epístola, Pedro já não é só um discípulo pobre, mas também um filho obediente, ficando contente com a «esperança da graça» que lhe seria concedida e não se conformando com «os desejos de outrora», de uma pobreza “espiritualidade avarenta”. A causa do Evangelho é caminho para a plenitude do Reino. E este prémio é para todos. Poder testemunhá-lo em nome de Jesus já é uma graça!

[Oração] Sal 97 (98)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu