Publicado em Lectio Humana-Divina

A vida de Jesus é um grande sumário para as inquietantes lições do Espírito

[Leitura] Act 17, 15. 22 – 18, 1; Jo 16, 12-15

[Meditação] As leituras de hoje fizeram-me regressar à escola, aos sumários e às lições. Aqueles tinham a função de sintetizar para recordar mais tarde o elenco das matérias; estas o papel de desenvolver e “trocar por miúdos” esses assuntos importantes. Pois, nesta escalada para o acontecimento do Pentecostes, Jesus vai-nos preparando para aprendermos a lidar como Espírito, Aquele Guia que Ele e o Pai colocam à nossa disposição para nos aventurarmos no caminho da felicidade até à verdade plena.

É compreensível que aqueles três anos de vida pública que Jesus viveu na terra não possam ser totalmente abarcados pela inteligência humana (teórica e prática) por duas razões: 1ª Os discípulos que contactaram diretamente com Ele eram simplesmente humanos (limitados, portanto!); 2ª O resto da humanidade inteira (contemporânea a Jesus e do futuro) não contactou diretamente de forma a poder, diretamente, escutar o que Ele disse e ver os milagres que Ele fez. Nesta fase da história da salvação que é a do Espírito, somos convidados a confiar que esta Pessoa da Santíssima Trindade nos recordará tudo o que Jesus nos veio ensinar.

Esta velha Europa perdeu-se em múltiplos “clubes” (dentro e fora das confissões de fé) que se esforçam por fazer “adeptos” em vez de, simplesmente, verdadeiros cristãos (deixando que o “clube” que os ajudou a ser cristãos fique no humilde e, supostamente, eficaz silêncio). É tempo de recordar o método do Apóstolo Paulo: aproveitar os “altares ao Deus desconhecido” (“altares” sem “clube” e sem “adeptos”) que povoam este mundo, não tendo medo de, por um corajoso diálogo entre a cultura e a fé, de inquietarmos e de nos deixarmos confrontar pela humanidade que anda à procura do Deus verdadeiro.

[Oração] Sal 148

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu