Mãe Igreja: Escola da Fé com Form-Ação Certificada pelo Espírito

[Leitura] Act 15, 1-2. 22-29; Ap 21, 10-14. 22-23; Jo 14, 23-29

[Meditação] A liturgia deste VI Domingo da Páscoa prepara-nos para a celebração da Ascensão do Senhor e para o Pentecostes. «Se Me amásseis, ficaríeis contentes por Eu ir para o Pai, porque o Pai é maior do que Eu» − disse Jesus. Em Seu nome, o Pai como que agiu e agirá com o Filho e o Espírito, respetivamente, como se por duas mãos abertas se tratasse em convite para o caloroso abraço. O desafio é deixarmo-nos amar pelo amor maior do Pai, ficando simplesmente contentes por Jesus. Em Seu nome, o Pai pode fazer em nós grandes maravilhas, enviando-nos o Seu Espírito.

A possibilidade de fazermos a experiência do Espírito Santo sucede-se à etapa pascal da experiência do Ressuscitado. Para isso, requer-se que não tenhamos medo nem uma inerte saudade de Jesus, porque a função do Espírito, que é o Amor do Pai e do Filho, é ensinar-nos e recordar-nos tudo o que Jesus nos ensinou da parte do Pai.

Esta experiência do Espírito Santo depende da comunhão entre os cristãos e destes com Este sublime enviado do Pai e do Filho. «O Espírito Santo e nós decidimos» − quantas vezes o «nós», apesar de ser plural, não passa de um majestático formal, desprovido de uma profunda relação amorosa com o Pai e com o Filho através deste Seu Delegado misterioso. Está claro: as decisões solitárias não dão em nada, ao passo que as decisões discernidas à luz da comunhão com Deus e com os irmãos ajudam-nos a dar passos discretos para o infinito.

Que Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, abençoe todas as mães do mundo e nos proteja no caminho da Paz que só Deus nos pode dar com a luz do Seu Espírito de Amor!

[Oração] Sal 66 (67)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo