Publicado em Lectio Humana-Divina

Destacados pelo Bom Pastor para a missão da unidade

[Leitura] Act 13, 14. 43-52; Ap 7, 9. 14b-17; Jo 10, 27-30; Mensagem do Papa Francisco para as Vocações

[Meditação] Nitidamente, o discurso das Vocações está expulso do “território” do senso comum. Talvez se deva a vários fatores, tais como: alguns aspetos da vida cristã cristalizaram-se em tradições, não permitindo que novas linguagens e serviços nos façam ir ao encontro das novas e urgentes necessidades; os estilos de vida vocacionais ficaram muito fechados dentro das suas instituições, exageradamente preocupados a defender a sobrevivência das mesmas; a rigidez dos projetos de vida a não dar lugar às surpresas do que é episódico, porventura, também carismático; não raramente alguns vocacionados sentiram-se e viveram como fins em si próprios, em vez de servirem como meios, limitando o horizonte que pode atrair na entrega, etc. Diante destes e tantos outros fatores, fica, muitas vezes, obscurecida a lógica do chamamento, que inclui sempre a iniciativa do amor sempre novo com que Deus quer responder às necessidades de cada tempo, a partir de respostas concretas na vida de quem, generosamente, se entregue ao serviço dos outros.

O Papa Francisco, na sua Mensagem para este 53º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, imitando o Bom e Belo Pastor que é Jesus Cristo, que “cuida das suas ovelhas” e as quer levar ao seu “pasto verdejante”, repropõe-nos a oração a partir da reflexão sob o tema «Igreja, Mãe de Vocações». Dizendo o que já era sabido pela teologia da vocação cristã, o Santo Padre sublinha o que é mais importante para hoje, nas urgência do nosso tempo:

  1. Que os batizados sintam a alegria de pertencer à Igreja e de, nela, encontrarem a sua vocação específica;
  2. Demos graças pelas comunidades, onde a vocação se desenvolve, também, na conversão, sob a ação da misericórdia de Deus;
  3. Que, nas comunidades, todos possam aceder à inesgotável riqueza que são os Sacramentos, cuja força é digna de crédito;
  4. Olhem-se as comunidades são o primeiro antídoto contra a indiferença e o individualismo, convite a colocar avida ao serviço dos outros;
  5. Na comunidade, todos se sintam responsáveis pelo germinar, formar e perseverar das vocações;
  6. Que a autenticidade das vocações seja iluminada por um justo sentido de Igreja, onde nascem, na inclusão dos múltiplos carismas, todos necessários ao trabalho em prol da comunhão;
  7. A Igreja é o espaço onde crescem as vocações, por ser seu lugar educativo fundamental;
  8. A Igreja sustenta as vocações, acudindo com esforços para a sua perseverança e alimentando a sua formação permanente;
  9. Os sacerdotes são insubstituíveis no discernimento e no acompanhamento das vocações;
  10. É em Maria que os fiéis da Igreja se podem inspirar para tomar consciência e exercer a sua responsabilidade de rezar e cuidar pelas vocações, sobretudo as de especial consagração, hoje tão necessitadas de uma cuidadosa seleção, para o bem do povo de Deus.

Que a reflexão e oração deste dia possam suscitar nas nossas comunidades eclesiais a coragem de jovens que possam ser “destacados” para serviços concretos, prenúncio de vidas consagradas em missão, para que todos possam deixar a tribulação deste mundo e ir, definitivamente, ao encontro do Cordeiro de Deus que, desde já, nos abre as fontes de água viva.

[Oração] Com o Papa Francisco, rezamos:

Pai de misericórdia, que destes o vosso Filho pela nossa salvação e sempre nos sustentais com os dons do vosso Espírito, concedei-nos comunidades cristãs vivas, fervorosas e felizes, que sejam fontes de vida fraterna e suscitem nos jovens o desejo de se consagrarem a Vós e à evangelização. Sustentai-as no seu compromisso de propor uma adequada catequese vocacional e caminhos de especial consagração. Dai sabedoria para o necessário discernimento vocacional, de modo que, em tudo, resplandeça a grandeza do vosso amor misericordioso. Maria, Mãe e educadora de Jesus, interceda por cada comunidade cristã, para que, tornada fecunda pelo Espírito Santo, seja fonte de vocações autênticas para o serviço do povo santo de Deus.

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu