Reino de Deus: estar perto é saber, estar dentro é praticar

[Leitura] Os 14, 2-10; Mc 12, 28b-34

[Meditação]  Vivemos numa sociedade eminentemente individualista. E por mais que demos conta disso, numa tentativa de autodescentramento, ainda podemos correr o risco de permanecer dentro de uma casulo de proteção naquilo a que poderemos querer chamar de “Reino de Deus”. Mas… o que é o Reino de Deus?

Jesus contou-nos uma série de parábolas para nos descrever o que é o seu Reino e que determinam o ser do cristão, na prática de valores concretos (semeador, joio, grão de mostarda, fermento, tesouro escondido, rede). No Evangelho de hoje, porém, Ele confirma a inteligência que ajuda a estar próximo do Reino, embora não baste para estar dentro.

«Procurai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça, e tudo o mais se vos dará por acréscimo» (Mt 6, 33). O Mestre não se demorava em teorias longas; pelo contrário, atirava sempre a atenção dos seus interlocutores para a prática radical dos valores que propunha. Por isso é que mais ninguém se atrevia a interrogá-l’O. Não fosse Ele implicá-los imediatamente na prática. Mais uma vez: a Igreja de hoje é acusada, em muitas dimensões pastorais, em ter uma doutrina douta, mas uma prática tímida. Não estamos longe do Reino de Deus…!

[Oração] Sal 80 (81)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo