Publicado em Lectio Humana-Divina

Com Zacarias cantemos a relação, o serviço e o coração

[Leitura] 2 Sam 7, 1-5. 8b-12. 14a. 16; Lc 1, 67-79

[Meditação] Unindo-se ao Magnificat de Maria, Zacarias canta o Benedictus, para, ambos, nos ajudarem a entrar na “porta estreita” do Natal, aquela porta pela qual, antes de nos convidar a entrar, Jesus saiu para nos vir salvar.

Estes primeiríssimos cânticos da comunidade cristã ajudam-nos a celebrar com convicção que o Natal concretiza a visita de Deus à humanidade, tão esperada, consolidando a Sua realeza, não através de um poder político (externo), mas pela incarnação do seu próprio Filho. Uma vez que o pior opressor do homem é o pecado, Ele veio, vem e virá em todos os tempos para nos salvar por dentro, com a sua misericórdia.

Portanto, inspirados pelo livro de Samuel e no cântico de Zacarias, podemos dizer que a “casa” que Deus faz é “relação”, o “reino” é o do “serviço” e o “trono” é o coração de cada pessoa. O que Jesus disse e fez mais tarde veio a comprovar: «onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, Eu estou no meio deles» (Mt 18, 20); «se alguém quiser ser o primeiro, há-de ser o último de todos e o servo de todos» (Mc 9, 35); «onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração» (Mc 6, 21).

O cântico do Benedictus, rezado todas as manhãs na Liturgia das Horas, é um apelo às comunidades cristãs, a contemplarem o verdadeiro rosto de Deus em Jesus Cristo que, nascendo humilde, nos atrai para uma vida de proximidade para com os outros, um apelo ao serviço desinteressado, deixando-se cada um “governar” a partir do coração pelo Amor do Deus-connosco. É no coração de cada um que Ele quer reinar, para consolidar as relações a partir do serviço.

[Oração] Em: Novena de Natal 2015

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu