Publicado em Lectio Humana-Divina

O entusiasmo de Maria: o Espírito em ato

[Leitura] Miq 5, 1-4a; Hebr 10, 5-10; Lc 1, 39-45

[Meditação] Como é que se reconhece um cristão? Vê-lo a ir à Missa? Não basta. Sugiro que o acompanhemos durante, pelo menos, durante uma semana e visitemos, com ele, todos os ambientes: família, sociedade, trabalho, escola, lazer, etc., fazendo o inventário de atitudes. Pode acontecer que não fale muito de Jesus Cristo, mas que a sua forma cristã de viver impregne o ambiente de uma alegria que contagia.

Isabel, a prima de Maria, fez seu o Deus que Maria trazia dentro de si. E Maria não disse muitas palavras até que Isabel professasse essa fé. Vejamos as ações das personagens: Maria − acreditou, pôs-se a caminho, dirigiu-se, entrou em casa, saudou Isabel. Isabel − ouviu, ficou cheia do Espírito Santo, exultou. O menino − exultou no seio. Da liturgia da Palavra deste domingo extrai-se a convicção de que o verdadeiro culto é fazer a vontade de Deus e não a execução de meros ritos. Trata-se de, sob a força do Espírito Santo, “dar o corpo ao manifesto” quando for preciso, dizendo “Eis-me aqui” diante das emergências humanas. É esta prontidão espiritual incarnada que nos ajudará a viver em segurança e a construir a paz.

Como vemos, a ação do Espírito Santo no cristão não tem de ser muito espalhafatosa. O entusiasmo significa, por isso, ter o Espírito em potência dentro de si, mas também em ato, fora de cada um, na forma como se vive em relação aos outros e ao ambiente que nos rodeia.

[Oração] Em: Novena de Natal 2015

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu