Quem persevera na esperança já está salvo!

[Leitura] Rom 8, 18-25; Lc 13, 18-21

[Meditação] No trecho evangélico de hoje, continuamos a aprofundar o conhecimento do Reino com o nosso Mestre, através de duas simples e recorrentes parábolas ou imagens fáceis de perceber. Não tão fácil é assumir com simplicidade o seu significado. Jesus é a salvação em pessoa e duvido que Ele viesse, na sua Incarnação, perder tempo com meros futurismos. Ele veio, sim, realizar a Redenção da humanidade. Por isso, oferece-nos a esperança como “estágio permanente”, para entrar no qual basta a “inscrição” com a fé e a realização do “plano ocupacional” da caridade. Quem perseverar nesta esperança já pode experimentar o Reino de Deus, que está latente no sofrimento e patente na glória; latente nas palavras e gestos sacramentais que o “implementam” e patente na Misericórdia infinita de Deus. As afirmações do Apóstolo Paulo aos Romanos permitem-nos pensar esta vida como um grande seio materno, no qual esperamos, entre gemidos interiores, vir a ser filhos adotivos. Como ao seres humanos pré-natais, não descuidemos da gestação do Reino em nós e à nossa volta, através de atitudes simples. E a grande árvore virá a dar frutos deliciosos…!

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo