Publicado em Lectio Humana-Divina

O ser humano no centro, se Cristo for a cabeça

[Leitura] Col 1, 24 – 2, 3;  Lc 6, 6-11; Plataforma de Apoio aos Refugiados

[Meditação] Imagino que os fundamentalistas da ISIS herdam algo dos escribas e fariseus do tempo de Jesus: não aguentam que o poder lhes seja tirado por um Ser superior a eles. Prova-o o assassínio dos cristãos no médio oriente e a destruição dos sinais religiosos, nomeadamente a cruz. Sinto pena em, no ocidente, alguns estarem a pactuar com eles quanto a esta destruição, abrindo caminho subtil para o perigo eminente de uma invasão (não me refiro à entrada dos refugiados…). Mete-me tanta pena ver os refugiados a fugir do perigo, à procura de uma terra onde possam viver em liberdade a sua fé, como dos que habitam nesta terra onde, quase, não o podem fazer sem restrições de algum género (ideológico, social, político, etc.). Jesus confrontou-se com os legalistas do seu tempo, para os quais o Sábado estava acima do homem ferido. Respondeu-lhes quebrando com a rigidez do Sábado, pondo o homem no centro das atenções, declarando a urgência da sua cura como uma prioridade. O “centro”, para Jesus, talvez não seja um “eixo” à volta do qual tudo gira (nem Ele próprio Se coloca nesse centro!), mas mais a consideração ditada pela sua Sabedoria amorosa (vinda do Pai, pelo Espírito que habita n’Ele) de que a prioridade é a salvação do ser humano. Assim, poderíamos concluir que o ser humano está no centro das considerações ou preocupações de Jesus Cristo e, consequentemente, das suas ocupações. Penso que a Plataforma de Apoio aos Refugiados poderá ser um bom “termómetro” não só da nossa sensibilidade em relação aos fugitivos da guerra (claramente religiosa, embora forças capitalistas estejam na sua origem), mas também da nossa capacidade de responder, assumindo que a inspiração está na “cabeça” que é Cristo e os valores do Evangelho e a colaboração está no “corpo” que todos formamos em Cristo. Naquela plataforma está lançado o desafio de que se percam os egoísmos nacionais para uma resposta europeia solidária. Até quando iremos demorar a dar resposta, perdendo tempo demasiado na defesa do interesse (político, religioso, etc.) só de alguns e desperdiçando a colaboração do saber fazer de muitos? Jesus disse: “quando eu for levantado da terra, atrairei todos a Mim” (Jo 12, 32). Aí está Ele… Vamos!

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu