Jesus, o “exterminador implacável zero”

[Leitura] 2 Cor 6, 1-10; Mt 5, 38-42

[Meditação] Certamente já vistes os vários episódios da saga “Exterminador Implacável”, com o célebre artista Arnold Schwarzenegger. Ao proclamar o Evangelho de hoje, pareceu-me assistir ao “exterminador implacável zero”, ou seja, à hipótese de um personagem ainda mais célebre conseguir exterminar todo mal com violência zero. Na verdade, ensina-nos com o seu próprio exemplo, abolindo, com a sua forma de atuar, a antiga lei de Talião. Ao observarmos bem esta sociedade, ainda vemos presente esta lei e, quem sabe, o seu mais ancestral antecessor: “se me fazes mal, anda pagarás a dobrar”, do qual aquela lei mais recente, mas a.C. é um limitado upgrade.Na verdade, de que nos vale reagirmos contra a violência com mais violência? Naturalmente, não é mal defendermo-nos dos perigos e, melhor, se nos anteciparmos a eles de forma adaptativa e bem humorizada. Na sociedade de não há muitos anos atrás (e se calhar ainda hoje!) vemos muita pedagogia educacional do tipo “ação-reação”. Hoje, Jesus exorta-nos a optarmos pela forma “ação-compreensão”. Conforme nos testemunha Paulo, vivendo aqui na terra e ainda que pareçamos tristes, pobres, desconhecidos, condenados…, na realidade habitamos já no reino de Deus como alegres, ricos, conhecidos, livres da morte eterna.

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo