Acreditar em Jesus é “inscrever-se” formalmente na vida eterna

[Leitura] Act 5, 27-33; Jo 3, 31-36

[Meditação] Quanto mais o sumo sacerdote proibia “formalmente” os Apóstolos  de falar em nome de Jesus, mais eles Lhe obedeciam (também, formalmente), acreditando na força do Seu Espírito. Acreditar não é um ato meramente passivo (embora possa sê-lo no necessário acolhimento do dom da fé), mas inclui deixar-se convencer pelo Filho de Deus, que tem poder sobre todas as coisas. Obedecer mais a Deus que aos homens é, pois, já uma grande vitória do bem sobre o mal.

Hoje, há muitos cristãos a ser julgados nos “tribunais” de uma tirania fundada meramente no desejo descontrolado de um poder terreno. Esses apóstolos hodiernos são um testemunho claro de um poder que não é deste mundo, mostrando-nos que não é a força de uma fantasia que os leva a estar de pé, mas uma segurança divina.
Esta segurança só a pode experimentar quem arrisca “assinar” com o sangue de uma fé consequente uma vida patenteada pelos valores do Evangelho.

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo