Publicado em Lectio Humana-Divina

A fé no Ressuscitado pode ser um processo indutivo e dedutivo

puzzle_da_ressurreicao[Leitura] Act 4, 13-21; Mc 16, 9-15

[Meditação] O evangelista Marcos é muito simples na forma como relata as experiências de encontro com o Ressuscitado e esta simplicidade permite-nos verificar que Ele Se manifestou, no início do seu ministério público, não a multidões, como frequentemente fazia com o anúncio do Reino e o convite à conversão, mas a pessoas concretas e a partir delas − Maria Madalena, os Dois no caminho, os Onze à mesa… todos convidados a espalhar esta Boa Notícia. E é na verificação de todos estes casos concretos que somos capazes de reunir elementos para formular a profissão de fé na Ressurreição de Jesus. Jesus precisa de cada uma das “peças” que é cada crente para construir a Sua comunidade, a comunidade do Ressuscitado, chamada, no mundo, a continuar a Sua missão.Por sua vez, a incredulidade trava e obscurece o testemunho daqueles que trabalham neste “parto”. Sem o Ressuscitado não poderia haver Eucaristia, nem Igreja… Por isso, cada homens e mulher que vêm a este mundo são chamados a fazer parte desta alegria de Cristo Vivo, um processo que é lento e progressivo. Não se trata de acreditar e pronto, a partir do nada. É necessário um processo catequético que nos ajude a recolher as peças que nos permitam compreender as Escrituras e acolher a verdade celebrada na Liturgia. A consequência será, graças ao Espírito do Pentecostes, não ter medo de ir por todo o mundo e anunciar o Evangelho a toda a criatura.

A liberdade não se cala em nome da Liberdade. Os corações duros devem transformar-se em corações de carne, simples, para poderem desconcertar os que resistem à realidade que só se percebe pela fé. Muitas vezes, nas nossas tradições se utilizou a linguagem dura da proibição, de modo que o acesso às verdades da fé esteve por muito tempo fechado (até à Sagrada Escritura na nossa língua materna); urge acolher os acontecimentos contidos na Escritura com um coração simples, capaz de acolher as verdades nela contidas e de as partilhar aos que a desconhecem, com a força e a alegria de quem se percebe, no caminho, acompanhado por Cristo vivo.

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

Autor:

Padre da Diocese de Viseu