Publicado em Lectio Humana-Divina

A caridade do Bom Pastor brilha na escuridão!

[Leitura] Is 58, 9b-14; Lc 5, 27-32

[Meditação] Por ocasião do Jubileu do ano 2000, não foi à toa que o Papa João Paulo II associou a caridade ao elenco de ações para a obtenção de uma indulgência plenária. Sem uma boa ação, aquele elenco estaria incompleto! No Evangelho de hoje, vemos Jesus a percorrer as “ruas escuras” do seu tempo e a sua atenção para com o publicano Levi fez com que este, imediatamente, O acolhesse em sua casa, sem vergonha, mas pronto a segui-Lo.

É frequente dizermos que o Sacramento da Reconciliação está em crise. Parece ser verdade. No entanto, penso que a análise não é completa: costuma-se dizer que é um Sacramento pouco frequentado, nas horas que os párocos marcam para esse efeito. Detenhamo-nos na cena do Evangelho: não é Levi que vai ter com Jesus; é este que passa pelo lugar onde Levi exerce o seu malfadado ofício! Estamos habituados a pensar o ministério da Reconciliação como sendo só o mero acontecimento que é a Confissão. Não será este um ponto de chegada e um ponto de partida de um encontro e uma nova tomada de consciência?

Faltam-nos caminhos não “institucionalizados” onde acabem as murmurações sobre quem parece estar afastado de Jesus, enquanto Este Se faz próximo como e quando quer. “Segue-Me” não é meramente a voz de um chamamento vocacional (Levi ainda não é Mateus); é um convite a iniciar um caminho de conversão. Num tempo em que escaceiam vocações de especial consagração, urge não se queimarem etapas e quer-se a ousadia de aproximação à vida real das pessoas, convidando a fazer um caminho desde a própria história real (na qual Levi pôde transformar-se em Mateus!). Com uma pastoral de mera manutenção (muitas vezes estereotipada), corremos o risco de “encapar” a vida das pessoas com uma história que não tem a ver com o interior. Pois, é desde o interior que é preciso fazer um caminho e, não somente, desde o exterior que se quer manter ou fazer progredir a todo o custo. Ele veio para os que precisam de médico! Às vezes as “doenças” descobrem-se no contacto com a sua Palavra e a sua Amizade próxima!! Aí, o rito litúrgico da Confissão pode ser, também, um ponto de chegada… para uma nova partida!

ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

 

Autor:

Padre da Diocese de Viseu