Publicado em Lectio Humana-Divina

A tua apresentação ao Senhor

[Leitura] Mal 3, 1-4; Lc 2, 22-40

[Meditação] Já te apresentaste alguma vez ao Senhor? Sim! Uma apresentação como aquela em que alguém se apresenta ou é apresentado a outra pessoa. Habitualmente, um encontro assim é sempre uma festa (por conhecermos um amigo de um nosso amigo) ou um desafio (a tarefa de ficarmos ligado a alguém, a uma necessidade…). Já nos levaram até Ele, porventura, muitas vezes: no Batismo, no Crisma, na Eucaristia, na Festa de um familiar ou nalguma outra circunstância. Mas… será que tu já te apresentas-te a Ele?!

Se revisitarmos a cena da Apresentação do Senhor no Evangelho, damos conta que, por um lado, Maria e José cumprem as prescrições da Lei “no que lhes dizia respeito”; por outro, o Simeão e a Ana acolhem este Menino como Alguém que esperavam ansiosamente ser-lhes apresentado, reagindo à Sua chegada. Consequentemente, este encontro mudou-lhes a vida. Aliás, deu sentido a toda a sua vida, uma vez que já eram idosos. É como se os seus dias não estivessem completos. Passaram a estar.

Também será assim um pouco connosco: Ele está aí, é o Ressuscitado. Mas… não faltará, da nossa parte, uma reação positiva à apresentação que nos foi feita da sua Pessoa? Sei… por vezes, é a forma de o fazer, não sabemos como… Frequentemente alguém se esquece de nos introduzir convenientemente à Sua presença ou, porventura, esse rito de iniciação aconteceu “em massa”. Não faz mal… agora fá-lo tu: vai ter com Ele (encontra-Lo de muitas formas: na Eucaristia, no Sacrário, no irmão pobre ou que sofre, no teu caminho, com a ajuda de um padre amigo ou de um conselheiro espiritual…); diz-Lhe quem tu és (Ele sabe, mas precisa da tua versão!); declara-Lhe que precisas, como Simeão, o quanto ficarás descansado por ver a Sua Luz e que é preciso “morrer” em ti o “homem velho”; ou que te falta, como a Ana, algum entusiasmo que dê sentido ao que já fazes na tentativa de O anunciar.

Este encontro é urgente: dele dependerá o que farás a seguir ou a forma de o fazer. Se reparares bem, à tua volta ou nas ruas por onde passas, haverá muitas pessoas que ainda não se apresentaram ao Senhor convenientemente. Toma a iniciativa. Fá-lo com um coração puro, quer dizer, com sinceridade.
É Ele, hoje, o Templo! E Ele precisa que tu transmitas a Sua Luz, a mesma com a qual quer iluminar a tua vida!

Autor:

Padre da Diocese de Viseu