Publicado em Lectio Humana-Divina

Deus continua a chamar “como das outras vezes”

[Leitura] 1 Sam 3, 3b-10. 19; 1 Cor 6, 13c-15a. 17-20; Jo 1, 35-42

[Meditação] Deus continua a chamar com a força das palavras e a coerência das ações. Prova isso a interação entre João Batista que declara “Eis o Cordeiro de Deus” e o dinamismo de Jesus que passava a atrair a atenção dos discípulos que se transferem para este outro Mestre. A pedagogia do Mestre é respeitadora da liberdade e das aspirações/desejos de cada um, pois ele pergunta sempre, como pressuposto dessa relação: “Que procurais?” Ao responderem “Onde moras?”, os discípulos denunciam uma clara necessidade de intimidade com Jesus Cristo, essencial para o posterior anúncio dos efeitos dessa íntima relação.

Estamos a viver o Ano da Vida Consagrada, tempo favorável para louvarmos a Deus pelas vocações e a tomarmos consciência da sua importância para a Igreja e para o mundo. Os consagrados e as consagradas são ponto de encontro com a voz de Deus que continua a chamar; contemplar a sua vida e os seus carismas são, pelo menos, como que uma declaração como a de João Batista para os dois discípulos e fonte de recomendação como a de Eli para Samuel.

A Pastoral Vocacional Diocesana pretende, com a aventura da passagem pelos arciprestados e paróquias, favorecer fundamentalmente esta a aprendizagem da escuta essencial da voz de Deus a partir do testemunho dos/as consagrados/as, à maneira de Heli. Outro passo necessário é, posteriormente, abrirmos as portas de nossas casas para que os jovens posam ver como vivemos e, aí, possam sentir que Deus os chama a algo parecido, mas também inédito.

No início da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, somos incentivados a responder ao pedido de Jesus “dá-me de beber!” (Jo 4, 7). Este pedido vem reforçar o que nos diz o Apóstolo na segunda leitura deste dia sobrea  importância do corpo. É aqui que Jesus, pelo Espírito Santo, faz a sua morada. Se quisermos ir, novamente, ver onde Ele mora, não podemos prescindir de tratar bem do corpo, sobretudo dos mais pobres e fragilizados. Podemos ensaiar isso tratando bem do próprio corpo! O Papa Francisco, na sua visita ao Sri Lanka e às Filipinas foi ver onde Jesus “mora”, levando àqueles povos a água viva do Evangelho.

Seja cada um de nós, também, portador desta água aos que habitam no mundo, sedentos da felicidade e da paz que só Deus pode dar.

Autor:

Padre da Diocese de Viseu