Curados mais do que à flor da pele

[Leitura] Lc 5, 12-16

[Meditação] Havia uma marca de produtos laticínios que publicitava os seus produtos com um slogan mais ou menos assim: “… faz bem por dentro e isso vê-se por fora!”. Pois, não é totalmente original, porque a proposta de salvação realizada pelo amor de Jesus Cristo não se fica por uma remoção de mal estar que apareça à flor da pele, como alguns tipos de dermatites ou de lepra. A cura que o Senhro oferece gratuitamente ao leproso é mais do que à superfície: quer que ele seja livre por dentro, desde o seu profundo, e, ainda, restituí-lo à comunidade.
Pode acontecer que, na nossa busca de bem-estar, nos fiquemos somente pela cura da superfície dos problemas da vida física, desconsiderando os dramas da vida psíquica e, ainda, não levando a sério a tão necessária saúde espiritual. Jesus, o Médico total, que nos considera desde a globalidade do nosso ser (não como alguns médicos ou terapuetas que nos reduzem a um… objeto limitado à sua especialidade), oferece-nos uma cura que atinge o profundo do nosso ser, lá onde a história e o pecado podem atingir o núcleo que move para a felicidade que nos está prometida.
Menos mal que Jesus é conhecedor e “guardião” do nosso profundo; só Ele é que conhece o “ADN” da nossa alma e o que nos ajudar a fazer a partir dele, no desenvolvimento daquele ser que ainda haveremos de ser, dentro do projeto do Pai.
O abismo que existe entre o nosso profundo psíquico e espiritual e a nossa epiderme física e comportamental é semelhante ao abismo que existe entre a nossa pequenez e a grandeza de Deus, entre a nossa individualidade e a vida comunitária da fé. Por isso, Jesus pede que a cura se prolongue e confirme, pedindo ao homem curado que se apresente ao sacerdote, como que lhe sugerisse não ser uma ilha e caminhar ao encontro de um terreno partilhado e fértil.

%d bloggers like this: