Natal de Jesus: acontecimento-protótipo de qualquer (re)nascimento

Em Maria encontramos o tipo ou modelo de um processo especial que podemos alargar a muitas experiências de conversão e de santidade, como processo dinâmico que vai desde a iniciativa de Deus até à permissão e concretização da Sua vontadecom a liberdade humana, tal como acontece no processo da vocação cristã.
Poderemos, a partir de Lc 1, 26-38, elencar os seguintes momentos que no poderão ajudar a descrever, por um lado, as vidas de santidade e, por outro, motivações para um caminho de conversão ou resposta à vocação. É o caminho entre a necessidade de pedir um sinal com o qual iniciar um processo de crescimento ou desenvolvimento pessoal e a capacidade de ler os sinais que abundam na nossa vida vindos da abundante e gratuita graça de Deus.

Assim, vejamos:
1. Iniciativa de Deus que intervém na história por saber das nossas necessidades;
2. A pequenez de um ser humano que O acolhe (APROXIMAÇÃO);
3. O convite explicito a participar num projeto:
3. O assombro do ser humano que pensa não poder conter (compreender) tamanha graça (DIÁLOGO);
4. A missão em causa;
5. A dúvida-ponderação (RESISTÊNCIA HUMANA);
6. Alargamento e confirmação do poder de Deus (a parenta Isabel);
7. “Faça-se em mim” (PERMISSÃO-CONCRETIZAÇÃO).

Como para Maria, José, Zacarias… é a vizinhança para com a Palavra, o Templo e os Irmãos que pode dar consistência ao projeto de Deus em nós.

%d bloggers like this: