O deserto da verdade e da humildade

O Natal avisinha-se como promessa do cumprimento das surpresas de Deus para caca um de nós. E a visita de Cristo não se faz esperar. No entanto, o Encontro não depende só d’Ele; precisa que nos preparemos e nos deixemos ajudar; e, para isso, precisamos de pedagogos. O Evangelho deste II Domingo do Advento (Mc 1, 1-8) mostra-nos João Batista a fazer de pedagogo ou professor na arte do deserto, lugar onde aprendemos a desprender-nos de tudo aquilo que pode dificultar o acolhimento de Jesus que vem. Para descobrir aquilo de que não precisamos ou que nos atrapalha o encontro com Jesus Menino, só mesmo a coragem da verdade que se conta com a simplicidade do acontecimento do primeiro Natal.

%d bloggers like this: