As "páscoas" (passagens) do desenvolvimento humano

bios   ——->   pathos   ——->  logos

A paixão surge, neste esquema, como mediação entre o ser natureza (bios) e o ser pessoa (logos). Toda a vida humana consiste numa passagem de uma vida meramente natural a um ser pessoa, através de uma tensão sensitivo-cognitiva vivida no núcleo do ser a que chamamos pathos.

Este drama ou tensão medeia a passagem entre os estádios que que dão consistência às idades do ser pessoa, através do “jogo” entre dois parâmetros: o da alteridade e o da temporalidade. Sim, é do confronto com os outros, nos ambientes diversos em que os encontramos, e nos momentos do tempo que nos é proporcionado viver que crescemos, ou seja, passamos de um estádio para outro. é, pois, o encontro-desencontro educativo/formativo que faz com que a pessoa adquira o equilíbrio-desiquilíbrio necessário à determinada passagem para uma outra forma de ser ou idade.

O logos (=sabedoria) é uma meta à qual os desejos do coração e da mente humanos podem tender e, misteriosamente, para horizontes mais amplos. Para quem acredita em Deus, o horizonte mais amplo e misterioso que dá respostas à pessoa em constante passagem (páscoa) é o Logos (=Verbo) que assumiu a nossa natureza humana (bios), transformando-a com o seu próprio pathos, ou seja, a sua Paixão por nós.

Quando Jesus (Logos) aconselhou aos seus discípulos que tomassem a sua cruz a segui-Lo, através de uma postura de mansidão ou docilidade, estava a propôr-nos uma espécie de “jogo”, uma forma “lúdica” para que o drama da “passagem” pudesse acontecer com mais proveito para o desenvolvimento humano. Podemos rever essa pedagogia lúdica no Livro dos Provérbios (8, 27-31):

Quando Ele formava os céus, ali estava eu;
   quando colocava a abóbada por cima do abismo,
quando condensava as nuvens, nas alturas,
   quando continha as fontes do abismo,
quando fixava ao mar os seus limites,
   para que as águas não ultrapassassem a sua orla;
   quando assentou os fundamentos da terra,
eu estava com Ele como arquitecto,
   e era o seu encanto, todos os dias,
   brincando continuamente em sua presença;
brincava sobre a superfície da Terra,
   e as minhas delícias é estar junto dos seres humanos.

%d blogueiros gostam disto: