Publicado em Integração Psico-Espiritual

A missão começa no coração

Hoje escutei na rádio uma frase que me ajudou a preencheu melhor este Dia Mundial das Missões: “a missão começa no coração”. Era esta a convicção de Santa Teresinha, Padroeira das Missões. E é, para mim, muito significativo que o seu dia seja o primeiro deste mês dedicado às Missões.
Antes de qualquer estratégia, estrutura, plano, programa pastoral, o coração é o princípio: o “coração” de cada um, o “coração” comunitário, o “coração” da Igreja, o “coração” do mundo. “Dai a César o que é de César…” é o método do equilíbrio, já sabemos. Mas também o imperativo do estar, sem confundir, “de pés no chão e com o coração ao alto”. Afinal, César também é de Deus, apesar de ele, por vezes, não dar conta…
Mas o coração dá conta! É ou não é, hoje, o ataque cardíaco a doença da moda? O coração pertence a Deus. Por isso é que n’Ele começa e acaba a missão. O coração é a porta e a soleira da porta, que medeiam o sair e o entrar, o começar e acabar. Em todas as circunstâncias deveríamos ter em atenção o coração das pessoas e este “coração” universal que é o Amor, entendendo pela palavra coração mais do que o mero sentimentalismo, valendo a definição bíblica do centro passional e decisional total do homem. Esta definição ilumina o princípio da união entre fé e razão, diante, hoje, da tandência em elevar esta acima daquela na organização da vida da Igreja.
Valerá mesmo a pena tudo o que se programa e se faz sem este começo?!…

Autor:

Padre da Diocese de Viseu