Publicado em Integração Psico-Espiritual

Por que me persegues?

Em Act 9,4, Jesus pergunta a Saulo porque é que O persegue nos cristãos que ele manda prender e matar. O título de hoje “por que me persegues?” é para os cristãos já baptizados, mas não de todo convertidos. Seria melhor perguntar: “Por que motivo me segues?”
A pergunta em Actos 9,4 medeia o ser cristão do não ser cristão. No entanto, para um crente, que significado terá? Não é fácil, sem nunca termos “perseguido” cristãos perceber bem o acontecimento da conversão de S. Paulo, comumente achado indescritível, mas que sabemos comportar a força do seu núcleo: a morte e ressurreição de Cristo Jesus, conteúdo principal do anúncio de Paulo.
Já que não conseguimos de todo perceber a cena a montante do seu contexto inicial, tentemos percebê-la a jusante da vocação e missão de Paulo. Perguntemo-nos:
Sego Jesus Cristo? Por que razão o “persigo”? E de que forma? Quando me deixo levar por “ventos” contrários aos do Espírito, porque persigo os outros, ou então a mim próprio, ao crente que há em mim?
Com estas perguntas e muitas outras, poderemos descobrir alguns “cavalos” dos quais somos levados a cair, não de uma total inimizade pela comunidade cristã, porque falo, porventura, para um público vasto de pessoas crentes, baptizadas, mas de uma ainda incerta direcção a tomar no anúncio da Morte e da Ressurreição de Cristo, sempre a necessitar de ser purificado de razões que poderão não ser iluminadas pela fé.
Enfim, da raiva, passando pela ansiedade, até à docilidade ao Espírito de Cristo, vai um caminho longo a percorrer até a uma futura “Damasco”, baptizados no sangue, acção que consumará quele de água e do Espírito que já recebemos.

Autor:

Padre da Diocese de Viseu