Publicado em Integração Psico-Espiritual

«Interroga a graça e não a ciência…»

Se pretendes saber como isto sucede, interroga a graça e não a ciência, o desejo e não a inteligência, o gemido da oração e não o estudo dos livros, o esposo e não o professor, Deus e não o homem, a nuvem e não a claridade.

É desta forma que S. Boaventura, cuja memória a Igreja celebra neste dia, nos ajuda a fazer a misteriosa passagem do mundo para Deus que tem como Caminho e Porta Jesus Cristo.

Este pequeno extracto do «Itinerário da alma pra Deus» escrito por aquele bispo sugere-nos uma contra-corrente na ordem de factores que nos podem ajudar a promover o desenvolvimento humano para Deus. É ou não é surpreendente aquela ordem de factores? Está ou não desvalorizada, pelo mundo e por vazes também pela Igreja, aquela hierarquia de valores?

No entanto, Boaventura pede-nos que “interroguemos”. Esta é uma tarefa das faculdades da alma, para a qual ela precisa de todos aqueles elementos, sendo que os segundos devem estar ao serviço dos primeiros e não ao contrário. Já viste a reviravolta que isso pode causar na tua vida? Experimenta agarrar-te mais às coisas do alto do que às coisas da terra em matéria de felicidade e vais ver…!

Tenho aprendido que de entre as três grandes dimensões da pessoa humana, a saber:
3. A terceira que nos faculta uma herança natural (valores naturais);
2. A segunda que nos faz gerir valores humanos adquiridos em interacção com a sociedade (valores institucionais);
1. A primeira que nos faz caminhar na senda dos valores sobrenaturais/espirituais;

são estes últimos que nos ajudam melhor a governar a nossa caminhada pela história que, no sentido cristão, é para nós história da salvação.

Autor:

Padre da Diocese de Viseu