De que tipo é a tua relação com Deus?

A relação com Deus é, para o crente, o centro da sua vida. É nesta relação que tirar as forças para a sua caminhada de fé.

Esta relação é pessoal, pois pretende favorecer um diálogo que às vezes parece um monólogo, quando falamos mais do que escutamos. Deus está sempre presente, a sua união a cada um de nós é de continuidade, enquanto que a nossa presença é descontínua e instável…

Pode haver dois tipos de relação com Deus:

1. A relação é simétrica quando é de igualdade. É muito difícil, mas não impossível, encontrar uma relação completamente simétrica no âmbito religioso. Simétrica entende-se a relação que se tem com Jesus Cristo: quando Ele se torna amor pessoal para o discípulo; o Amigo, o Esposo, o Senhor; é a Aleança como reciprocidade; supõe a integração afectiva da humanidade de Jesus.

2. A relação é assimétrica significa uma relação entre um inferior e um sperior, mas não de escravo-patrão: Deus é visto como Absoluto, o homem sente-se uma sua criatura; Deus é Pai, o homem é filho (afectividade filial); Deus é autoridade amorosa (meto-me à disposição do projecto de Deus, serviço de amor).

A nossa relação com Deus Uno e Trino é um processo afectivo, primeiro de ser um processo cognitivo. A nossa vida de fé pode oscilar entre aqueles dois tipos de relação, conforme a nossa capacidade de nos relacionarmos com os outros, pois a nossa relação com Deus não escapa à influência daquilo que acontece entre cada um de nós e as outras pessoas.

No entanto, somos chamados a aprofundar essa relação. Se quiseres saber melhor de que tipo é a tua relação com Deus, não procures nos momentos que estão cheios de emoções primárias que enchem o coração com um entusiasmo que se evapora rápido. Procura, antes, em momentos de profundo silêncio diante do Senhor, no teu quarto, na tua solidão… lá Ele fala-te ao coração!

%d blogueiros gostam disto: