O silêncio da inteligência e o deserto do coração

Existe uma estrada que vai dos olhos ao coração sem passar pelo intelecto. (Gilbert Keith Chesterton)

O silêncio da inteligência: quanto é difícil! Habituados a ver e a julgar o mundo – e muito bem! -, ainda não exercitámos suficientemente a capacidade de “calar” por instantes o “ruído” do pensamento para deixar falar o coração. Os “pensamentos” deste são os sentimentos. Deixa-os falar!

Para isso é preciso o deserto. Pode não ser o Sahara, mas um pequeno deserto, no espaço e no tempo. Deus criou o deserto para que os homens aí pudessem conhecer a sua alma! (diz o tuareg) De deserto em deserto, farás um caminho interior que, apesar de parecer “seco” até a alma será mais sábia e melhor. E não repetirás a tua estadia num mesmo deserto, pois a experiência do silêncio que escuta as verdades interiores te levará a paragens distantes…