Publicado em Integração Psico-Espiritual

A glória de Deus…

é a kénosis* de Seu Filho!
Só a partir daqui é que «a glória de Deus é o homem vivo» (S. Ireneu). Hoje, no tradicional Dia da Mãe em Portugal, o Evangelho relaciona o mandamento do amor com o conhecimento do Pai. Contemplemos, neste dia, o amor incarnado nas nossas vidas, no qual, sejam quais forem as circunstâncias de cada pessoa, tiveram papel importante as nossas mães.
Amar significa «perder»**. Será esse o exemplo da mãe que eu mais admiro e contemplo. «Perder» os/pelos filhos, «ganhando» a felicidade deles para o projecto de Deus.
«A presença da perda é uma constante do desenvolvimento humano. Trata-se de uma perda afectiva, de segurança, e o seu grau de dramatismo depende, para além da precocidade do estádio no qual acontece, também do modo no qual ela é gerida, sobretudo por parte daqueles que se ocupam de acudir à pessoa no seu desenvolvimento»***.
Parabéns a todas as mães, pais e educadores (adoptivos, para além de carnais!) pela atenção que dão/deram sobretudo à escuta do interior dos filhos/educandos que acompanham. Como Maria, guardando tudo no seu coração e actuando de forma prudente e causativa…****
____________________
* (Do gr. = esvaziamento). No NT, emprega-se para significar como o Verbo divino, na Encarnação, aceitou os condicionamentos duma natureza humana ferida pelo pecado, ainda por cima provada até à morte de cruz (Cf. Enciclopédia Católica Popular).
** Cf. Mt 10,39.
*** S. GUARINELLI, «L’ascolto di sé: equivoci e obiettivi», in: Tredimensioni 2 (2005), p. 270.
**** Cf. Jo 2.

Autor:

Padre da Diocese de Viseu