Palavra de Deus em «standby»?!

Cristãos atarefados com muitas coisas (supostamente importantes!), muitas vezes escutamos a Palavra Deus com um entusiasmo relativo como que a insinuar «está bem, temos de a escutar para a nossa salvação!», em vez de a acolhermos com o grito «que bom! eis a Boa Notícia para nós, hoje» (como fonte de confronto para as não tão boas notícias que vamos vivendo ou observando). Dá impressão, passe o «midrash», que acontece com a Palavra o que costuma acentecer com o nosso computador, para nos poupar energia: depois de um certo tempo de inactividade o sistema entra em «standby» ou em «suspensão».
Contentamo-nos em escutar a Palavra e esperamos que seja o Espírito Santo a fazer o resto (fará mais do que pensamos, certamente!). Mas pergunto-me: será que mesmo contra a nossa inteligência, afectividade e vontade o Espírito Santo entra em acção?… Fica em aberto, embora ouso dizer que não!
O melhor será, como fazemos para que o sistema do computador volte a entrar em actividade, «tocar, simplesmente, numa das teclas» da nossa inteligência-afectividade-vontade para abrir caminho ao Espírito de Deus, agora, sim, operante através dessas nossas faculdades para que a Palavra de Deus alimente e frutifique nas nossas vidas.
Outras «teclas» podem ser apontadas, no enquadramento daquelas faculdades humanas: aprofundar da fé com o estudo, sentir com o coração o que professamos, traduzir a Palavra em obras concretas. Enfim, agir com qualquer das nossas faculdades em atitudes simples e concretas para «desbloquear» o «adormecimento» da nossa vida cristã por vezes tão descontínua e apática.
Passe a graça: pior que «suspender o sistema» da fé é «hiberná-lo»!… (nesta reflexão, qualquer semelhança entre a pessoa humana e o computador é pura coincidência!).
Há que acordar para o Dia: é Páscoa!