A glória escondida numa coroa de espinhos

     A meditação do terceiro mistério doloroso fez-me contemplar a antítese gerada pela oferta livre de Cristo que, ao aceitar aquela coroa, experimenta o misto de sofrimento e antecipação daquela glória que Lhe estava destinada.

     Coroação de espinhos e transfiguração são ambos momentos que antecedem a via-sacra. Um aparenta dor, outro aparenta luz, mas têm na base o mesmo valor real: a Vida nova da Ressurreição.

     É, ainda, necessário atravessar esta ponte, a que chamamos via-sacra, para alcançar essa Vida. Não desanimemos! Jesus Cristo já não é só o aparentemente transfigurado, mas o Ressuscitado! Da sua transcendência deixou-nos as marcas para Lhe seguirmos o caminho.

     Percorramos cada passo da nossa “via” com uma vontade “sacra”, ou seja, com o sentimento no coração: “faça-se a Tua vontade”. A partir daqui, os ritos têm mais probabilidades de expressar este Mistério e de nos conduzir à Vida.