Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria

Maria, mulher imaculada:
Em Ti, temos a certeza das graças de Deus.
Padroeira de Portugal
e de todo o mundo:
Concede-nos a graça de Vos imitarmos
no sim incondicional.
Inundada pelo Espírito:
Cobre-nos com esse manto de luz!

Ó Maria concebida sem pecado:
Rogai por nós que recorremos a Vós!

Escutamos Ave Maria interpretada pelas vozes de “anjos” – Libera.

Não Obrigada!

À Pergunta: “Concorda com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez, se realizada, por opção da mulher, nas primeiras dez semanas, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado?” Respondemos:

Um portal ousado, apartidário, não confessional, plural, diversificada e muito abrangente que nasce da sociedade civil. Reúne pessoas e grupos que têm em comum serem contra a liberalização do aborto… Apresenta as razões do “não”, factos, videos, testemunhos… [É melhor visitar!]

Adormecer acordado!

Adormecer acordado
É padecer insónias de vida;
De vivências, trabalhos e canseiras
Tirar alimento para a esperança.

É fugir da superficialidade
E correr a saltar na prancha da fé,
Para o mar da profundidade
Do de Ser de Deus que me atrai.

É tocar no fundo de mim,
Sondar as razões,
Investigar os sentimentos
E medir as motivações!
(…)

Exame de consciência
para o Advento em “downloads“.

Maranathá! Vem, Senhor Jesus!

Começar um novo ano litúrgico neste caminho cíclico é empreender um superamento de mim, na auto-transcendência.
É deixar que a “árvore” que sou, plantada neste mundo, estique os seus ramos, mesmo os mais débeis, ao mais alto mistério.
Para isso, preciso de descer à profundidade do meu ser, mergulhando as raízes bem fundo, na realidade que só à luz da Palavra e ao Amor de Deus poderei compreender.
Para ser mais do que aquilo que sou: aquilo que Deus quer que eu seja, em Jesus Cristo, no Espírito Santo. Vai ser isto, para mim, o Advento!
Escutamos “Maranatha” na voz de Jane Winther, uma interpretação que imita a saudável “monotonia” oriental que poderá facilitar uma meditação mais límpida dos ruídos quatidianos.

Ecumenismo na Internet [Basta clicar na imagem]

Uma estrela a seguir neste Advento!

nativity

Este filme que teve estreia ante-prima na Aula Paulo VI, no passado Domingo, dia 26 de Novembro de 2006, é um filme a não perder!
Realizado por Catherine Hardwicke, desenvolve o Evangelho da Infância de Jesus como o conhecemos, dando, no entanto, ênfase a aspectos particulares que nem sempre saltam à primeira vista na proclamação do Evangelho. Sublinho a humanidade dos personagens principais.
Nesta ocasião de estreia no Vaticano foi feita uma recolha de fundos para sustentar «’Mangere Scene’, um centro intercultural para os jovens de Haifa, promovido pelo Arcebispo católico de Haifa (Israel)».
Um bom filme para a utilizar na pedagogia catequética. Deve estar a irromper nos cinemas por toda a parte no início de Dezembro. Queira Deus que esta estrela se evidencie no meio de tantas luzes que não são a estrela no Natal. É uma boa ocasião para sair de casa com os seus filhos! E se encontrardes um pobre pelo caminho: aí está Ele!
Ver aqui uma crítica. Ver aqui o trailer.

Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

Raise your voices! Raise your voices! Praise to Him, the Living Word!
To the heavens high ascending. Raise your voices to the Lord!
É com este refrão, composto por Rolf Lovland (saber mais em Secret Garden) que faço a homenagem musical ao nosso verdadeiro Rei. A Liturgia da Palavra deste último Domingo do Tempo Comum, faz-nos contemplar este Rei que dá testemunho da verdade com a própria vida. É um Rei com uma coroa de espinhos. Aqui, a realidade sobrepôe-se à arte! Nesta Eucaristia recapitulamos toda a teologia do ano litúrgico que vivemos. Elevai as vossas vozes! Elevai as vossas vozes! Rogai a Ele, a Palavra Viva! Aquele que sobe aos altos céus da glória. Elevai as vossas vozes ao Senhor!

Eucaristia

Hoje entrego-Te nesta patena o pão dos talentos, qualidades, forças e virtudes que afinal Te devolvo;
e ofereço-te o sangue de um pranto feito de dores, pecados, uma “hemorragia” no abismo do mistério.
Neste altar, ainda hoje, continuo a ser Teu.

Depois da "Semana dos Seminários"…

Não deixes de escutar, em cada dia, em cada desafio, em cada dificuldade, a voz de Jesus que te pergunta: “Tu amas-Me?”
Procura dar-Lhe sempre uma resposta que, ainda que nem sempre qualificada de um amor indiviso, quanto mais for permanente e mais fiel será a ponto de veres mais claramente a missão: “apascenta as minhas ovelhas!”
Amigos seminaristas: uma boa caminhada no discipulado de Jesus Cristo!

Escutamos esta semana um cântico do P. Manuel Luís (Lisboa). Descei, Senhor Jesus, dos altos céus. Vinde trazer ao mundo a paz de Deus. Ajuda-nos, nesta última semana do Tempo Comum, a fazer o ensaio de uma esperança que que contempla já Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Unniverso. A Liturgia deste 33.º Domingo do Tempo Comum serve de ponto de partida e dá-nos a certeza de que somos a geração destinada, neste tempo, a ler os sinais e a colher a graça da vinda de Jesus que significa a sua permanência no meio de nós.