Se tens um coração Bento, filho/a feliz serás!

[Leitura] Prov 2, 1-9; Mt 19, 27-29

[Meditação] Neste dia da Festa de S. Bento, diria que ser “abençoado” significa de tudo despir-se para tudo receber, como sugere um comentário de S. Jerónimo. De tal maneira, ser ou estar abençoado não é ter a bênção de Deus por cima de tudo o que somos e temos, mas tê-la antes de tudo o que seremos a partir dela. Foi assim que percebi o convite à filiação que encabeça a Regra de São Bento: feita de escuta e oração antes de qualquer e de todo o empenho, para que Deus o leve a cumprimento segundo a sua vontade. Propõe os mesmos sentimentos que o Livro dos Provérbios.

O Evangelho de hoje reinscreve no nosso quotidiano a dimensão da renúncia, não muito fácil de cumprir nos nossos dias e num contexto social de consumo desmedido, quer de bens materiais, quer de bens espirituais. Como e quando chegaremos a poder vislumbrar o cêntuplo de bens que Cristo tem para nos oferecer? Ouso uma resposta: quando, segundo os seus desígnios de amor, tivermos a coragem de deixar tudo (o como) e O seguirmos (o quando).

A vida eterna é o que completa tudo aquilo que nesta vida terrena sempre saberá a incompleto. No entanto, como nos inspira a Regra de São Bento, com o avançar da entrega de vida ao Senhor o coração humano se dilata continuamente.

[Oração] Sal 33 (34)

[ContemplAção] Em: twitter.com/padretojo

%d blogueiros gostam disto: